O portal de Canas de Senhorim

outubro 06, 2008

As "estórias" do "Pirolito"


Não sei o que fazer
Mas vou pensar
Escrevo a minha vida
Para mais tarde recordar

Na idade veio a escola
Levantava-me sem querer
Os anos iam passando
Eu pouco sabia escrever

Só pensava em jogar á bola
Sempre a minha perdição
Não ouvia o professor
Era só bola até mais não

Muito cedo me levantava
Dando conta do café
Caminhava para escola
E a bola rolando no meu pé

Não era fácil concentração
Porque a bola era comigo
Os colegas me diziam
Só quero jogar contigo

Fiz depois a 4ª classe
Quase mesmo sem querer
Mas a idade ia passando
Mas sempre consegui vencer

Fui para alfaiate
Essa arte eu não pensava
A mocidade me dizia
Só quero bola e mais nada

O tempo ia passando
Não sabia o que pensar
Seria esse meu destino
Que meu pai me quis dar

Meu pai ainda me bateu
Essa arte eu não queria
Minha cabeça só pensava
Jogar á bola até ao fim do dia

A bola não foi esquecida
Foi sempre o meu prazer
Foi muito fácil encontrar
Meu grande desejo de vencer

Fui para o académico
Fiz os testes junto do treinador
Este logo me dizia
Seria um grande jogador

Tive lugar na equipa júnior
Sem motivos para substituição
Fiz todos os jogos do campeonato
Recordando gloriosa paixão

Fomos ao campeonato nacional
Foi prazer enorme distinção
Meu sonho foi alcançado
Tal como pedia o coração

Tão feliz eu me sentia
Eu só e mais ninguém
Tão sozinho me sacrificava
Com o desejo de ser alguém

Chegou a tropa pois então
Cumprindo serviço militar
O destino me dizia
Outra vida vou começar

Angola foi meu destino
Mas a bola não foi esquecida
Levando no coração
A nossa Pátria querida

Foram dias muito difíceis
Era guerra no Ultramar
Lutando dia após dia
Para a minha terra regressar

Chegou tão glorioso dia
Com meu dever cumprido
Juntando magoas esquecidas
Mas nunca arrependido

Regressei glorioso
Primeira fase foi vencida
Agora só desejo encontrar
Alegrias na nova vida

Foram alegrias na mocidade
Que jamais esquecerei
São recordações tão lindas
Que eu sempre recordarei

Faço esquecer para nova vida
Muito só não posso viver
Quero um futuro risonho
Para o nosso senhor agradecer

Assim o tempo ia passando
Não esquecendo o passado
Dormindo com o pensamento
De uma companhia ao meu lado

Veio o namoro mas pouco tempo
Ate nem deu para pensar
Mas a idade ia passando
Mais não podia esperar

Casamos na Igreja
Com ou sem amor, não sei
O destino assim me dizia
Não penses em mais ninguém

Começamos nova vida
No futuro vamos olhar
Pensando dia após dia
Esse desejo saudar

Tal querer não se justificava
Era um casamento falhado
Eu queria mas não devia
Afastar-me para outro lado

Até que um filho Deus no deu
Essa alegria mais nos aproximou
Meu filho era o meu querido
Mas no amor tudo falhou

Nada mais de aventuras
Tenho ainda mais para sofrer
Agora pergunto a Deus
O que mais posso fazer

Chegou a ternura dos sessenta
Não pensava em qualquer dor
Mas pelo sim pelo não
Fui á consulta ao Doutor

Deu resultado negativo
Essa notícia meu deu o Doutor
Fui logo para o hospital
Fiz exame, acusou um temor

Fui operado fiquei sem falar
Foi difícil esta dor
Mas o Bernardo ainda existe
Dando graças ao senhor

A vida assim continua
Nesta vida eu pensarei
Vejo a luz que me alumia
Mais o destino respeitarei

Recordando tempos atrás
Eu pensava não ter fim
Pois os sessenta ultrapassados
A velhice é mesmo assim

Ainda penso que sou jovem
Não devia pensar assim
Os jovens que são jovens
Já não olham para mim

Não pensava como hoje
Bom, seria esse bem-querer
A velhice é como o tempo
Agora sol logo a chover

As nuvens estão escuras
Escuras logo ao amanhecer
A juventude foi-se embora
A velhice me faz sofrer

Tudo bem, manhã não sei
Ainda vivo na ilusão
Vou pensar para esquecer
Lembrando Deus pedindo perdão

Termino mas não esqueço
Tudo isto que já foi dito
Tudo e todos não vão esquecer.


**
O pirolito

Bernardo Serra da Cruz
08 / 04 / 2007

**

8 comentários:

MANUEL HENRIQUES disse...

Deveras emocionante. Só lamento não ter visto jogar ete mago da Urgeiriça,sportinguista de todas as horas.

Pombo correio disse...

São estes testemunhos que nos fazem reflectir.
Conheço o "PIROLITO" pessoalmente, e a história dele, é uma história de coragem e sofrimento. Só faltou referir-se à arte da costura, que nesse aspecto era um grande costureiro.

@manuel henriques
Também gostava de o ter visto jogar!
Mais uma vez fez um excelente trabalho.

Anónimo disse...

De facto é um grande homem e orgulho-me de ser filho do Pirolito. é um Pai e um amigo que jamais esquecerei . Força Pai.

Luis Carlos

Fernando Castela disse...

Conheço bem esta historia pois tambem a vivi com o prazer de a teus pais chamar avos e a ti irmao,o tempo separou nos mas fica ciente que te mantenho sempre no pensamento e no coração pois tambem desses tempos tenho saudades e boas memorias para recordar.
Espero ver te em breve mas enquanto isso nao é possivel gostaria de continuar a ler as tuas palavras.
Um abraço deste amigo
Antonio Fernando Lema Castela

ricalexandre disse...

Sem duvida um grande HOMEM e um grande Amigo.....


lembraste?

AXA XIXA BIXA!!!!!

..... o resto tu sabes

Uma grande abraço AMIGO

Ricardo

Gonçalo disse...

Foi meu vizinho por longos anos. Foi um homem bondoso, educado, divertido, uma excelente pessoa.
Sinto pena de nao ter podido pedir desculpa por qualquer incomodo que causei como vizinho, por vezes menos correcto.
Andei na escola com o filho, brincamos juntos, e com o tempo o contacto perdeu-se, mas ainda tenho esperanca de um dia voltar a minha terra e recordar com lagrimas de saudade no rosto, as boas pessoas que se foram e os momentos felizes que nos proporcionaram, directa ou indirectamente.
Carlitos, aqui te deixo um abraco e esta homenagem a um grande homem, o teu pai.

Carlos Liberto disse...

Meu amigo meu irmão você tornou simples , divertida e muito agradável a minha passagem pelo clube em Canas, foi uma experiência rápida mas intensa e cheia de emoções, não esqueço o carinho que pessoas simples nos dispensavam, era espontânea, humana, cheia de sentimento, fazia muito bem ao ego. Aproveito para agradecer ao povo de Canas de Senhorim por esses momentos marcantes na minha formação, bem aja.
O teu empenho, junto dos diretores do clube, do pagamento da gasolina, eram tempos difíceis também para os clubes, o fio de ouro gesto de reconhecimento e amizade, por isso e muito mais digo, és o irmão mais velho o amigo do peito, juntos rimos muito, corremos muito nas sinuosas curvas da antiga estrada Viseu / Lamego, éramos jovens e, eu, um pouco inconseqüente dirigindo.
Tivesse eu mais amigos como tu, a vida seria bem mais fácil. O momento presente por que passas de saúde é mais um jogo difícil que temos que vencer, faço parte da equipe dos amigos que estão ao teu lado e em pensamento, jogando pela rápida recuperação.
Pirolo, meu velho, gostei dos teus versos, refletem a pessoa de caráter firme e franca, continua voando em liberdade, expressando a poesia que está dentro de ti.
Abração do amigo Carlos Alberto da Costa Liberto

ANA GRAÇA ALVES disse...

ESPECIALMENTE AO "PIROLITO" COM SAUDADES:
SÓ SE PODE COMPREENDER A VIDA OLHANDO PARA TRÁS..... MAS A VIDA SÓ PODE SER VIVIDA OLHANDO PARA A FRENTE...
PARABÉNS PELA SUA FORÇA!!!